segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Encontro


Fugiste do mar numa noite de chuva
Roubaste as estrelas para te cobrires
A lua, do alto, sorriu-te baixinho
E o vento quente mostrou-te o caminho

Trazias conchinhas na palma da mão
E um raio de sol na tua canção

A rosa-dos-ventos perdeu o Norte
E então o sul trocou com o Oeste
Viciaste os dados da tua sorte
E o sol nasceu porque tu quiseste

Trazias conchinhas na palma da mão
E um raio de sol na tua canção

Quando acordei vi-te a brincar
Com corpo de espuma e riso de mar
E então fui peixe, fui onda, fui lua
Fui fruta de verão caindo madura

Trazias conchinhas na palma da mão
E um raio de sol na tua canção

Dei-te os meus olhos, as asas, o mundo
Descobri o tempo no rio mais fundo
Dancei contigo no meio da rua
E a canção que eu ouvia,
Afinal,
Era a tua.


Susana Soares
2001

2 comentários:

**simplesmente eu** disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
**simplesmente eu** disse...

Gostei, gostei muito!!

"E um raio de sol na tua canção"

...e um raio de sol no seu coração, nesse que escuta sem ouvir, que compreende mas não entende...pois "ouvir" e
"entender" são coisas que todos/as nos fazemos...é algo racional, ao contrario de "escutar" e "compreender" que é algo que vem do coração e que são virtudes que poucos/as possuem...e que a stora tem =D

Neste ano (2008), neste mês (Janeiro), neste dia (21), nesta hora (18h), neste blog (Umbilicalidades), lhe agradeço as vezes que me escutou e compreendeu com todo o seu coração! =) Obrigada por todo o carinho e atenção depositado nas nossas conversas...obrigada pelas palavras sábias que me deu, por toda a ajuda...OBRIGADA!

Beijinhos grandes!!